Abordagens integradas nas aulas de Física: possibilidades e desafios

O fascículo 5, da coleção Ensinar e Aprender no Mundo Digital, fornece algumas indicações quanto às  boas práticas no uso do blogue.

Este link dá algumas pistas quanto às orientações a dar aos alunos antes de iniciarem a atividade no blogue da turma (como comentar, escrever um post), assim como possibilidades de uma introdução progressiva a este tipo de trabalho.

Tendo por base estas orientações e aquilo que é a sua experiência profissional e vivências em sala de aula, que limitações/dificuldades encontra ao uso integrado da pesquisa na Internet e da utilização do blogue, no ensino e aprendizagem das Ciências, em particular da Física?

PS1: Um estudo sobre utilização de blogues escolares, em Portugal, Lina Fonseca e Maria João Gomes, U. Minho, 2007

PS2: O básico para iniciar um blog

Anúncios

Comentários a: "Limitações ao uso integrado da pesquisa na internet e do blogue" (1)

  1. sergioleal20 said:

    Da minha experiência como professor de Física e Química, que recorre com bastante frequência à tecnologia educativa e a outras ferramentas não necessariamente tecnológicas, que crescem diariamente, apraz-me referir que, quaisquer que sejam as ferramentas/recursos/abordagens utilizadas com uma turma (ou mais), o sucesso da sua utilização dependerá sempre do público-alvo de alunos que temos e, claro está, da sua motivação e interesse. No entanto, nós professores, temos de ter a responsabilidade de estimular constantemente os alunos para que estes se sintam motivados e interessados pela Ciência, em particular pela Física.
    Nenhuma ferramenta ou recurso educativo, tecnológico ou não, por si, será o suficiente para que os alunos fiquem fascinados pela Física ou por qualquer outra área científica.
    Em concreto, as limitações/dificuldades que encontro (e conheço) no uso integrado da pesquisa na Internet e da utilização do blogue, no ensino e aprendizagem das Ciências, como a Física, são:
    – Pesquisa na Internet não orientada pelos alunos (que muitas vezes se limita ao “copy-paste” ou ao plágio de algum sítio eletrónico encontrado, normalmente dos primeiros que encontram após utilizarem um motos de busca), tendo o professor (nós) de lhes explicar como devem realizar uma pesquisa efetiva e eficaz (mas estes já deveriam saber como pesquisar, pois nós, professores de Física e Química, temos alunos a partir dos 12 anos);
    – Os alunos serem resistentes aos blogues, quando se trata de estarem “obrigados” a trabalhar num blogue numa determinada disciplina (assim não colocam o “que lhes vai na alma”);
    – Os professores serem resistentes a novas abordagens (saem da sua “zona de conforto”), sendo essencial a formação contínua;
    – Não existir uma orientação clara do que se pretende com a utilização do blogue, por parte do professor (e/ou os alunos não entenderem o que se pretende);
    – Para utilizar a potencialidade de um blogue, o professor (e os alunos) deve estar familiarizado com a infinidade de possibilidades que o blogue permite (colocar vídeos, imagens, documentos, …), para além de dar jeito saber utilizar outros recursos (tais como o slideshare, por exemplo, entre muitos outros) – mais uma vez a necessidade da formação contínua;
    – Muitas vezes os blogues possuem um “prazo de validade”, isto é, se o blogue for apena pensado para um período ou ano letivo, por exemplo, deixam de haver posts e o blogue termina.
    Para concluir este já longo comentário apenas, não queria deixar de referir que, qualquer que seja o instrumento/recurso/ferramenta a utilizar com alunos, o carácter avaliativo tem de estar sempre presente, caso contrário, o mesmo pode ficar comprometido à partida. Chegou a acontecer-me que, ao propor “algo novo” aos meus alunos, estes ficaram “a torcer o nariz”, mas como seriam avaliados pelo seu trabalho começaram a trabalhar e gostaram imenso dos que lhes propus. Lá está, os alunos também são resistentes (e muito) às propostas que nós, professores, lhes fazemos, tendo igualmente uma “zona de conforto”, que não gostam que lhes seja retirada.
    Cumprimentos,
    Sérgio Leal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s